Dra. Sandra Franco

Consultoria
Direito médico e saúde
Saiba Mais
Cursos Saiba Mais

Conahp discute ética na Saúde com especialistas nacionais e internacionais em novembro

Fonte: Saúde Online

O Brasil vive um momento especialmente particular. Apesar dos mecanismos de fiscalização e combate à corrupção, o país ainda possui estruturas que favorecem as práticas ilegais. Embora trágicos para a economia, os últimos acontecimentos demonstram que finalmente estamos no caminho da intolerância para práticas que prejudicam o desenvolvimento.

O setor de saúde, pela sua complexidade, muitas vezes se vê envolvido em práticas prejudiciais aos seus objetivos finais. O modelo de remuneração atual, por exemplo, possui uma lógica que privilegia uma relação de custo-benefício perversa. Essa realidade precisa ser revista. Melhorar a qualidade e a eficiência hospitalar – responsáveis por cerca de 50% das despesas – são medidas urgentes.

De acordo com o Relatório Mundial da Saúde: “O Financiamento da Cobertura Universal”, da Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 20% e 40% de todos os gastos em saúde são desperdiçados por ineficiência. Apenas em países desenvolvidos a fraude e outras formas de desperdícios podem representar um custo estimado de US$ 12 a US$ 23 bilhões por ano para os governos. Dados da Rede Europeia para a Fraude e Corrupção na Saúde demonstram que dos US$ 5,3 trilhões das despesas globais em saúde, aproximadamente US$ 300 bilhões são perdidos para os erros e para a corrupção.

“Não há dúvidas que os efeitos da corrupção são extremamente maléficos para a qualidade da gestão dos recursos destinados à saúde, para a composição dos gastos públicos e para a eficiência das políticas governamentais. No entanto, para combater este câncer, é preciso rever o excesso de burocracia e fragmentação no financiamento e na organização do sistema”, comenta Francisco Balestrin, presidente do Conselho da Anahp.

A partir deste entendimento, “Ética: A sustentabilidade da saúde no Brasil” será o tema do 4º Conahp – Congresso Nacional de Hospitais Privados, que acontecerá entre os dias 16 e 18 de novembro de 2016, no Sheraton WTC Hotel, em São Paulo.

A Anahp está empenhada em estimular a discussão sobre ética e conduta empresarial na saúde, e a trazer o tema como uma das principais pautas do setor. “Precisamos colocar em pauta o fomento a programas de conduta ética e propor mudanças significativas, a fim de construir um novo modelo de relacionamento para o mercado, com mais transparência e ética, em prol de um conjunto de ações que funcione melhor, onde todos ganharão. Afinal, o melhor cenário não é aquele no qual mais se pune, mas aquele em que menos práticas antiéticas ocorrem”, afirma Ary Ribeiro, presidente do Comitê Científico do 4º Conahp.

O evento, que chega a sua 4ª edição em 2016 – ano em que Anahp celebra seus 15 anos de existência – pretende reunir mais de 1.200 participantes, em sua maioria líderes dos principais hospitais privados de excelência do Brasil, especialistas do cenário internacional e autoridades da saúde no país.

Sobre o 4º Conahp

Durante os três dias de evento, os participantes acompanharão sessões plenárias e paralelas com palestrantes nacionais e internacionais renomados, exposição de trabalhos científicos e espaço de relacionamento com parceiros em um único ambiente.

Serão mais de oito palestras magnas e mais de 10 sessões paralelas abordando a ética a partir de três eixos estratégicos: nas relações entre pacientes, hospitais e equipes de saúde; nas organizações e modelos de governança; e nas escolhas em saúde.

Saiba mais sobre o 4º Conahp

www.conahp.org.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *